Oikos News

🔒
❌ Sobre o FreshRSS
Há novos artigos disponíveis, clique para atualizar a página.
☐ ☆ ✇ Correio do Brasil

Substituta de ‘Cara e Coragem’ ganha data de estreia na Globo

Por: CdB

O elenco reúne nomes como Sheron Menezzes, a protagonista; Letícia Salles, vilã cômica, Carolina Dieckmann, José Loreto, Renata Sorrah, Bella Campos, Zécarlos Machado, Jean Paulo Campos, Emilio Dantas, Regiane Alves, Claudia Ohana, Samuel de Assis, Mel Maia, entre outros.

Por Flávio Ricco – do Rio de Janeiro

Colaboração – José Carlos Nery

A Globo programou para o dia 16 de janeiro a estreia de Vai na Fé, sua próxima novela das sete, escrita por Rosane Svartman (desta vez, sem Paulo Halm) e que terá direção artística de Paulo Silvestrini.

Letícia Salles

De acordo com o planejamento estabelecido pela emissora, as gravações terão início neste mês em locações no Rio de Janeiro.

O elenco reúne nomes como Sheron Menezzes, a protagonista; Letícia Salles, vilã cômica, Carolina Dieckmann, José Loreto, Renata Sorrah, Bella Campos, Zécarlos Machado, Jean Paulo Campos, Emilio Dantas, Regiane Alves, Claudia Ohana, Samuel de Assis, Mel Maia, entre outros.

Na substituta de Cara e Coragem, Menezzes será Sol, uma vendedora de quentinhas que já foi rainha de baile funk. Agora evangélica, canta no culto de uma igreja do bairro onde mora, no Rio.

Até que terá a oportunidade de se tornar backing vocal do cantor interpretado por Loreto, provocando assim uma grande mudança em sua vida.

Por sua vez, o personagem de Loreto é um artista em decadência e sem noção.

TV Tudo

De novo?

Nos bastidores da Rede TV!, acredite, estão cogitando uma nova mudança no TV Fama.

Assim fica difícil!

Representatividade

Na Globo, tem gente que vê com muita simpatia a possibilidade de Pabllo Vittar conduzir um programa.

Portanto, que ninguém se surpreenda com um trabalho da artista na TV aberta, futuramente.

Possível ausência

Maisa Silva tem trabalhado como madrinha digital da campanha Teleton, que se aproxima de mais uma edição no SBT: dias 4 e 5 de novembro. A jovem apresentadora sempre teve um papel importante na maratona beneficente. Agora, se existir mesmo um contrato de exclusividade com a Globo, para um programa em 2023, esquece.

Mesmo caso

Larissa Manoela é outra que ainda não tem presença confirmada na próxima edição do Teleton.

Tudo indica que será ausência no programa deste ano, por causa do vínculo com a Globo.

Cirilo também

Jean Paulo Campos terá um personagem importante na próxima novela das sete da Globo, Vai na Fé. Viverá um estudante de Direito. É outro nome que dificilmente participará do Teleton 2022.

Sugestão

Já que a Globo produziu uma confraternização entre os elencos de ontem e de hoje da novela Pantanal, para exibição no último capítulo, não seria interessante também dar um espacinho para o tema original de abertura no seu encerramento?

Trabalho de Marcus Viana e Sagrado Coração da Terra? Fica a dica.

Clube da esquina

Depois de trabalhar em novelas como Jesus, Um Lugar ao Sol e Reis, o ator e cantor Rômulo Weber dedica-se ao espetáculo Clube da Esquina – Os Sonhos Não Envelhecem. Interpreta o letrista Márcio Borges.

O espetáculo está em cartaz no Teatro Riachuelo, no Rio, e depois segue para o Teatro Liberdade, em São Paulo.

TV e cinema

Nathália Falcão será uma das atrações de Travessia, substituta de Pantanal, com estreia dia 10. Ela viverá Julia, amiga da protagonista Chiara, interpretada por Jade Picon. Nathália tem no currículo produções como Vade Retro, Hard e Desalma.

Em 2023, a atriz também poderá ser vista no filme Perdida, baseado no livro da escritora brasileira Carina Rissi.

Nada além

Rebeca Abravanel tem aparecido no SBT em algumas ocasiões, mas apenas para marcar presença em gravação de campanhas. Nada além disso. Sua prioridade é estar ao lado do marido, o jogador Alexandre Pato, que trabalha nos Estados Unidos.

Mudança de planos

A chance de Rebeca reassumir um programa no SBT está diretamente ligada a um acerto de Pato com algum clube de futebol do Brasil. Se isso acontecer na temporada 2023, aí sim, ela poderá voltar aos estúdios.

Façam suas apostas

A Fazenda 14 em curso e, por enquanto, não dá para falar ainda em favorito ou favoritos ao prêmio principal. De certo mesmo, sem novidades, é o bom trabalho desenvolvido por Adriane Galisteu na condução do reality rural. Já tomou conta.

Duplo impacto

Hoje, um ator aparecer em diferentes faixas na TV aberta, não é novidade nenhuma. Pode estar em uma novela inédita e também numa reprise. Agora, em se tratando de Rômulo Estrela, o destino jogou bem a favor. E logo em duas produções inéditas na aberta: Verdades Secretas 2 no ar dia 4, e Travessia, a partir do dia 10.

Bate-Rebate

·       O jogo de abertura da Copa acontecerá no dia 20 de novembro, às 13h, horário de Brasília, entre Qatar, o país-sede, e Equador…

·       … Normal que, a partir daí, o foco na programação da Globo esteja direcionado aos jogos…

·       …Só que Fátima Bernardes não tem nada a ver com isso…

·       …O seu The Voice vai entrar no ar pouco antes da Copa, dia 15 de novembro, e ela espera contar com todo o apoio da casa.

·       Na Netflix, o pessoal achou estranho a Globoplay anunciar a produção de uma série policial chamada  Veronika

·       … Veronika é uma advogada negra e moradora de uma favela que se envolve com o crime organizado…

·       …Bem, pelo menos tiveram o cuidado de colocar um “k” por ali…

·       … Enquanto isso, fica a expectativa sobre a terceira temporada de Bom Dia, Verônica.

·       No SBT, nenhuma novidade ainda sobre programação de fim de ano…

·       … A emissora, na verdade, está mais preocupada em disparar os trabalhos da próxima novela, Romeu e Julieta.

·       Catia Fonseca vem com um novo quadro no seu programa Melhor da Tarde, na Band. É o Sabor e Prosa.

C’est fini

A cobertura da Copa do Qatar na Globo terá um embalo maior a partir de 7 de novembro, dia da convocação dos jogadores da seleção brasileira. Como passo seguinte, exibição de séries especiais nos telejornais esportivos e de rede. No dia 11 de novembro, o Globo Repórter terá uma edição especial sobre o Catar, que está sendo produzida por Eric Faria.

Então é isso. Mas amanhã tem mais. Tchau!

☐ ☆ ✇ Correio do Brasil

Ídolo do boxe mundial, Éder Jofre morre aos 86 anos 

Por: CdB

Paulistano, Jofre foi considerado um dos maiores boxeadores da história e o primeiro brasileiro a conquistar um cinturão de relevância em nível mundial. O Galinho de Ouro, como era conhecido, foi campeão mundial do peso galo de 1960 a 1965; e, em 1973, faturou ainda o cinturão mundial do peso pena.

Por Redação, com ABr – de São Paulo

Éder Jofre morreu neste domingo em São Paulo. O boxeador tinha 86 anos e estava internado desde março com pneumonia e faleceu em decorrência de complicações da doença. Ele também sofria de encefalopatia traumática crônica. Conhecida como demência pugilística, a doença foi dignosticada em 2015.

Ele foi tricampeão mundial e um dos maiores da história da modalidade

Paulistano, Jofre foi considerado um dos maiores boxeadores da história e o primeiro brasileiro a conquistar um cinturão de relevância em nível mundial.

Galinho de Ouro

O Galinho de Ouro, como era conhecido, foi campeão mundial do peso galo de 1960 a 1965; e, em 1973, faturou ainda o cinturão mundial do peso pena. Teve um cartel de 81 lutas, sendo 75 vitórias (52 por nocaute), quatro empates e duas derrotas.

Ele entrou em 2021 para o Hall da Fama do Boxe da Costa Oeste dos Estados Unidos. Até o momento, não foram divulgados detalhes sobre o velório. Mas, o corpo do campeão será cremado no Crematório da Vila Alpina, em São Paulo.

☐ ☆ ✇ Correio do Brasil

Saiba o que os eleitores podem e o que não podem fazer na votação

Por: CdB

Para outras dúvidas, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) disponibilizou um assistente virtual, Chat Bot, criado em parceria com o WhatsApp, visando promover o acesso a informações relevantes sobre o processo eleitoral. O número do Chat Bot é (61) 9637-1078.

Por Redação, com Brasil de Fato – de Brasília

Neste domingo, 2 de outubro, acontece o primeiro turno das eleições gerais no Brasil. Cinco cargos estarão em disputa: dois para o poder Executivo, Presidente da República e Governador, e três no âmbito do poder Legislativo, Deputado Federal, Estadual e Senador.

É comum que surjam diversas dúvidas sobre o que pode e o que não pode fazer no dia da votação

É comum que surjam diversas dúvidas sobre o que pode e o que não pode fazer no dia da votação. Por isso, o Brasil de Fato Pernambuco reuniu as principais questões e trazemos as respostas. Confira:

Perdi meu título. Posso votar?

O eleitor que souber seu local de votação pode votar sem título de eleitor, levando apenas um documento oficial com foto. Se não souber, pode consultar no portal do TSE, no aplicativo e-Título ou nos assistentes virtuais do TSE no WhatsApp, Twitter e no Facebook.

Como saber se a sua seção de votação mudou?

É possível conferir o local de votação acessando o aplicativo do e-Título, disponível para Android e iOS, ou diretamente pelo site do TSE. Atenção: o aplicativo só pode ser acessado até o sábado (1), um dia antes da eleição.

É permitido votar de bermuda e chinelos?

Sim. As regras determinadas pelo TSE não proíbem a utilização de nenhum dos dois itens. No entanto, é proibido entrar nas zonas eleitorais sem camisa ou trajando roupas de banho, como biquíni, maiô ou sunga.

Pode levar celular?

Pode, mas na hora de entrar na cabine ele deve ser deixado com um mesário. Se o eleitor insistir em levar o celular para a cabine, será impedido de votar. Para quem não memorizou os votos, é permitido levar um “santinho” com o número dos seus candidatos, mas lembre: é proibido distribuir material de propaganda.

Bebês de colo podem ficar com a mãe na hora de votar?

A recomendação é deixar as crianças maiores fora da sessão, mas não há impedimento para que os bebês estejam com seus pais na hora do voto.

Pode manifestar convicções político-ideológicas no dia da votação?

O eleitor pode manifestar a convicção político-ideológica de forma individual e silenciosa. Isso significa que é permitido o uso de bandeiras, broches, dísticos, adesivos e camisetas.

Pode carreata?

No domingo não é mais permitido realizar carreatas, passeatas, motociatas, panfletagem e comício. Isso só pode acontecer até às 22 horas de sábado. A manifestação coletiva e aglomeração de pessoas que estejam utilizando roupas padronizadas também são proibidas, mas voltam a ser liberadas às 17h de domingo.

Os que forem identificados praticando boca de urna estão sujeitas à pena de detenção de até um ano, podendo também prestar serviços à comunidade e pagar multa no valor de até R$15 mil.

Devo assinar o caderno de votação?

Somente se você não tiver a biometria cadastrada. O eleitor com a biometria deverá colocar a digital para identificação, habilita o voto e isso dispensa a assinatura do caderno. Nos dois casos, é importante pegar o comprovante de votação, que deve ser obrigatoriamente fornecidos pelos mesários. Mas caso você perca, é possível emitir o certificado de quitação eleitoral no site do TSE.

Vi algo de errado. Como fazer denúncia paro TSE?

O Pardal é um aplicativo de fácil acesso oferecido gratuitamente pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para que qualquer cidadão possa enviar denúncias sobre diversos tipos de irregularidades durante as campanhas eleitorais espalhadas por todo o país. O app está apto a receber as seguintes denúncias: compra de votos; uso da máquina pública; crimes eleitorais; e propagandas irregulares.

Para outras dúvidas, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) disponibilizou um assistente virtual, Chat Bot, criado em parceria com o WhatsApp, visando promover o acesso a informações relevantes sobre o processo eleitoral. O número do Chat Bot é (61) 9637-1078.

☐ ☆ ✇ Correio do Brasil

Peru realiza eleições regionais com cerca de 70% do eleitorado indeciso

Por: CdB

De acordo com as últimas pesquisas de opinião, a maioria do eleitorado permanece indeciso. Um levantamento da empresa Ipsos, realizado na segunda quinzena de setembro, apontou que 79% do eleitores não sabiam em quem votar para governador, 72% estavam sem candidato para prefeito de províncias e 67%, sem nome para prefeito distrital. 

Por Redação, com Brasil de Fato – de Lima

Neste domingo, cerca de 24 milhões de peruanos e peruanas estão convocados a participar das eleições regionais. Ao todo, serão eleitos 13 mil cargos entre governadores, deputados estaduais, vereadores e prefeitos regionais e distritais para um mandato de quatro anos, que inicia no dia 1º de janeiro. A votação começa às 7h e vai até às 17h (horário local), mas os eleitores foram divididos entre período da manhã e da tarde para não gerar aglomerações, por conta da pandemia de covid-19.

Cerca de 24 milhões de peruanos e peruanas estão convocados a votar para definir os chefes do Executivo e Legislativo regionais

De acordo com as últimas pesquisas de opinião, a maioria do eleitorado permanece indeciso. Um levantamento da empresa Ipsos, realizado na segunda quinzena de setembro, apontou que 79% do eleitores não sabiam em quem votar para governador, 72% estavam sem candidato para prefeito de províncias e 67%, sem nome para prefeito distrital.

O voto é obrigatório, mas desde 2002 há uma diminuição gradual na participação, chegando a 20% de abstenção nas últimas eleições regionais de 2018. As multas por não comparecer às urnas vão de R$ 125 a R$ 315, de acordo com a região do país.

A crise política também atravessa o contexto regional. Entre os 25 governadores eleitos há quatro anos, 24 estão sendo investigados por supostos crimes de corrupção e oito abandonaram o cargo após serem condenados pela justiça.

A região metropolitana da capital concentra 30% dos cidadãos peruanos. Para a prefeitura de Lima, há oito candidaturas, mas a disputa está entre Daniel Urresti, da legenda de centro-esquerda Podemos Peru, que faz parte da coalizão governante no âmbito nacional, e Rafael López Aliaga, ex-candidato à presidência pelo partido de extrema direita Renovação Popular. Ambos aparecem em empate técnico, com cerca de 24% de intenção de voto, segundo a última pesquisa de opinião da empresa Ipsos.

Em terceiro lugar está George Forsyth, que também foi candidato à presidência pelo partido Somos Peru. Já Yuri Castro, da antiga legenda de Pedro Castillo, o partido Peru Livre, está em último nas pesquisas com 2,1% da preferência.

A indefinição no interior do país é ainda mais acentuada. No estado do presidente Castillo, em Cajamarca, há sete candidatos para o governo regional. Entre eles estão os ex-congressistas César Vásquez, do partido de centro-direita Aliança pelo Progresso, Walter Benavides, do partido de direita Avança País, Felícita Tocto, pelo Somos Peru, e Jorge Spelucín, que disputa pelo partido Peru Livre.

Plebiscito popular

Desde julho deste ano, o governo vinha tentando aprovar no Congresso uma proposta de realização de plebiscito popular junto às eleições regionais para iniciar um processo constituinte no país, no entanto o projeto não foi adiante. O processo é considerado um termômetro para o governo de Pedro Castillo, que completa um ano e meio de gestão vencendo duas tentativas de pedido de impeachment.

Com resistência no Congresso, Castillo busca melhorar sua relação com os governos regionais para garantir estabilidade política ao seu mandato. Em projeto apresentado pelo Ministério de Economia, o Executivo propõe um aumento de 9% no orçamento público para 2023, um total de US$ 55 milhões (R$ 294 milhões), com aumento de 16% no repasse aos municípios e 38% no repasse aos estados para cumprir com o objetivo de “descentralizar” a gestão pública.

☐ ☆ ✇ Correio do Brasil

TRE do Rio faz teste de integridade das urnas

Por: CdB

Ao todo, foram 27 urnas encaminhadas e trazidas das zonas eleitorais sorteavas no sábado. Conforme o TRE-RJ, elas iriam servir para a votação real, mas foram destinadas ao teste para comprovar que as condições de uso “são perfeitamente hígidas e corretas”.

Por Redação, com ABr – do Rio de Janeiro

O presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TRE-RJ), desembargador Elton Leme, abriu a programação da eleição no estado com o teste de integridade das urnas. A cerimônia no plenário do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJRJ) começou às 7h30.

Teste comprova que não há votos computados antes das eleições

De acordo com o TRE-RJ, o teste é feito por meio da zerésima, documento que comprova que não há votos computados na urna.

Zonas eleitorais

Ao todo, foram 27 urnas encaminhadas e trazidas das zonas eleitorais sorteavas no sábado. Conforme o TRE-RJ, elas iriam servir para a votação real, mas foram destinadas ao teste para comprovar que as condições de uso “são perfeitamente hígidas e corretas”.

O processo é concluído com a coincidência entre os votos digitados e o boletim emitido no final, demonstrando “que a urna é perfeitamente fiel na declaração dos votos digitados e na emissão do resultado”.

☐ ☆ ✇ Correio do Brasil

SP: massacre do Carandiru completa 30 anos

Por: CdB

A briga entre os detentos logo se generalizou e se transformou em uma rebelião. Foi então que a Polícia Militar (PM) foi chamada para conter o conflito. Após a falha em uma tentativa de negociação com os presos, o comando policial decidiu entrar no local com metralhadoras, fuzis e pistolas.

Por Redação, com ABr – de São Paulo

Há 30 anos, o sistema prisional brasileiro vivenciou o maior massacre e a maior tragédia de sua história. Na tarde do dia 2 de outubro de 1992, por volta das 14h, véspera de eleições municipais, dois detentos brigaram no Pavilhão 9, na Casa de Detenção de São Paulo, um complexo penitenciário que foi construído nos anos 1920, no bairro do Carandiru, na Zona Norte de São Paulo. O complexo era formado por sete pavilhões. Na época, 7.257 presos viviam no local, 2.706 deles só no Pavilhão 9, onde estavam encarcerados os réus primários, aqueles que cumpriam sua primeira pena de prisão ou que ainda aguardavam julgamento.

Massacre do Carandiru completa 30 anos

A briga entre os detentos logo se generalizou e se transformou em uma rebelião. Foi então que a Polícia Militar (PM) foi chamada para conter o conflito. Após a falha em uma tentativa de negociação com os presos, o comando policial decidiu entrar no local com metralhadoras, fuzis e pistolas.

Meia hora depois da entrada da PM, “as metralhadoras silenciaram”, contou o médico Drauzio Varela, em seu livro Estação Carandiru. O resultado da violenta ação policial no local, que mais tarde ficou conhecido como o Massacre do Carandiru, foi a morte de 111 detentos, sendo que 84 deles sequer tinham sido julgados e condenados por seus crimes. Nenhum policial morreu na ação.

Julgamentos

A responsabilidade pela ação policial só começou a ser julgada quase dez anos depois. Em 2001, o coronel Ubiratan Guimarães, que comandou a operação no Carandiru, foi condenado a 632 anos de prisão pela morte de 102 dos 111 prisioneiros do complexo penitenciário. A defesa do coronel recorreu da sentença e ela foi revertida, sendo anulada pelo Tribunal de Justiça em 2006.

Depois disso, outros cinco julgamentos, realizados por meio de Tribunais do Júri, ocorreram entre os anos de 2013 e 2014. Por ser um processo que envolvia uma grande quantidade de vítimas e uma grande quantidade de réus, o julgamento foi desmembrado em quatro partes [que correspondiam a cada um dos andares do pavilhão 9] e, ao final deles, 73 policiais foram condenados pelas 111 mortes a penas que variavam de 48 a 624 anos de prisão. Um quinto policial da Rota, que já estava preso por homicídio de travestis, teve seu caso julgado de forma separada porque sua defesa pediu que ele fosse analisado em laudo de insanidade mental e, em dezembro de 2014, ele também foi condenado.

A defesa dos policiais decidiu recorrer ao Tribunal de Justiça de São Paulo, pedindo a anulação dos julgamentos. A alegação da defesa era de que não seria possível individualizar a conduta dos policiais, dizendo quais deles efetivamente teriam efetuado os disparos ou quais policiais teriam sido responsáveis pela morte das vítimas.

Em 2016, três desembargadores da 4ª Câmara Criminal do Tribunal do Júri, responsáveis pelo recurso da defesa dos réus, decidiram anular os julgamentos anteriores entendendo que não havia elementos para mostrar quais foram os crimes cometidos por cada um dos agentes. O relator do processo defendeu que os policiais agiram em legítima defesa.

O Ministério Público recorreu da sentença. Anos depois, o processo finalmente chegou ao Supremo Tribunal Federal (STF). E, em agosto deste ano, o ministro Luís Roberto Barroso decidiu manter a condenação dos policiais militares.

– Na questão sobre a validade das condenações, a decisão é final, ou seja, os jurados condenaram os réus nos júris, o Tribunal de Justiça anulou, o STJ (Superior Tribunal de Justiça) revalidou as condenações e o STF recentemente confirmou isso [as condenações]. Mas existem questões de pena que voltarão para o Tribunal de Justiça para serem discutidas – explicou o promotor Márcio Friggi, em entrevista à Agência Brasil. “Isso vai gerar um novo acórdão para o tribunal, uma nova decisão. E, dessa decisão, cabem recursos”, acrescentou.

Isso significa que, apesar das condenações dos policiais terem sido mantidas pelo Supremo, eles não deverão cumprir as penas imediatamente. “De imediato, não (vão cumprir a pena). Hoje a jurisprudência consolidada é de que só pode cumprir a pena após o trânsito em julgado, ou seja, só após todos os recursos em todas as esferas terem sido encerrados ou tiverem acabado. E ainda temos a possibilidade de recursos sobre essa questão de pena. Não temos mais a possibilidade de termos novos júris porque os júris foram confirmados. Mas podem haver recursos relacionados à pena ou à quantidade da pena”, destacou o promotor, que participou de quatro dos julgamentos relacionados ao caso.

Projeto propõe anistia

Apesar da manutenção das condenações pelo ministro Barroso, os policiais que podem jamais vir a cumprir as penas impostas. Isso por causa de um projeto de lei que tramita atualmente na Câmara dos Deputados.

De autoria do deputado Capitão Augusto (PL-SP), o projeto prevê anistia aos policiais militares envolvidos no caso. O projeto já foi aprovado na Comissão de Segurança Pública da Câmara dos Deputados, e agora aguarda a designação de relator para ser examinado pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). Caso também seja aprovado nessa comissão, ele seguirá para votação no plenário da Casa. Se aprovado, ele ainda precisará ser votado no Senado antes de seguir para sanção do presidente da República.

Na justificativa do texto, o parlamentar argumentou que, durante uma rebelião, os policiais têm que agir de maneira proporcional “para conter a violência dos rebelados e, assim, cumprir sua missão de manter a ordem pública”. Ele ressaltou que o princípio da “individualização da pena” não é respeitado quando os episódios relacionados ao massacre são julgados e os policiais acabam condenados “somente por estarem no local do fato”.

Para o promotor, apesar de a anistia ser uma ferramenta legal e estar prevista na lei e na Constituição Federal, ela não deveria ser utilizada para esse fim. “Esse é um tipo de instrumento político e essa ferramenta não foi criada para isso [para tratar de crimes comuns]”, disse. “Anistia é lei, portanto é uma atribuição do Congresso Nacional, uma decisão política. Mas se o Tribunal do Júri é uma decisão do povo e se a própria sociedade decidiu nesse sentido, como poderiam os representantes desse povo, por meio de mandato, dizer que a sociedade que eles representam errou nesse julgamento?”, questionou o promotor.

– Tivemos um acontecimento de repercussão negativa mundialmente e o que está em julgamento é o caráter de nossa sociedade. Essa é a imagem que ficará dos brasileiros para o exterior – lamentou Maurício Monteiro, um dos sobreviventes do massacre.

Narrativa em disputa

Na opinião de Frederico de Almeida, professor do Departamento de Ciência Política do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e coordenador do Laboratório de Estudos de Política e Criminologia (PolCrim), o projeto de anistia mostra que a narrativa sobre o massacre continua em disputa. Inclusive politicamente.

O professor citou que, há alguns anos, o comandante da operação policial no Carandiru, o coronel Ubiratan Guimarães (1943-2006) alcançou a suplência nas eleições para deputado utilizando o 111 como seu número nas urnas.

– Do outro lado, nós temos familiares de vítimas, organizações de direitos humanos e sobreviventes do massacre que, durante todo esse período, mantiveram uma luta por memória, por justiça, por responsabilização dos agentes de Estado. Então, isso sempre esteve em disputa e voltou a estar em disputa – disse.

– A ausência de responsabilização e a dificuldade em se responsabilizar é uma marca dessa disputa, mas é também um sintoma, um sinal de que não só o episódio está em aberto, como também a ideia de direitos humanos – disse Almeida.

Ele lembra que o massacre ocorreu poucos anos depois da promulgação da Constituição brasileira de 1988, que foi escrita baseada na ideia de construção de um país democrático e nos direitos humanos. “Isso mostra que essa república e essa constituição democrática baseada em direitos humanos já surgiu muito frágil”, destacou.

– E aí nós estamos falando de massacres realizados em presídios, nós estamos falando de chacinas, nós estamos falando de violência contra os povos originários, nós estamos falando de violência contra os trabalhadores rurais sem terra, nós estamos falando de uma letalidade policial cotidiana e crescente. São violências que se reproduzem, se perpetuam e que aumentam na nossa democracia. Essa é uma marca do país e é um desafio que o país não conseguiu superar – disse o professor da Unicamp.

À Agência Brasil procurou os advogados dos policiais. Um deles informou à reportagem que não está mais no processo. O outro não respondeu a nossos pedidos de manifestação.

☐ ☆ ✇ Correio do Brasil

Inteligência do Irã acusa EUA e Reino Unido de provocar distúrbios no país

Por: CdB

O Irã também destacou a existência de evidências de participação estrangeira nos protestos relacionados à morte de uma mulher de 22 anos de idade natural do Curdistão. De acordo com a publicação, após a morte da mulher, numerosos protestos ocorreram no país, causando agitação social.

Por Redação, com Sputnik – de Teerã

A inteligência iraniana afirmou que os EUA e o Reino Unido estão “diretamente envolvidos” nos recentes distúrbios no país.

Inteligência do Irã acusa EUA e Reino Unido de provocarem distúrbios no país, diz mídia

A emissora Press TV, citando a inteligência do Irã, afirmou que dezenas de “terroristas” foram detidos no país nos últimos dias.

Protestos

O Irã também destacou a existência de evidências de participação estrangeira nos protestos relacionados à morte de uma mulher de 22 anos de idade natural do Curdistão.

De acordo com a publicação, após a morte da mulher, numerosos protestos ocorreram no país, causando agitação social, que teria o apoio de estrangeiros e organizações terroristas.

☐ ☆ ✇ Correio do Brasil

Tumulto em partida de futebol deixa 174 mortos na Indonésia

Por: CdB

Confusão começou após derrota de time local e invasão do campo por torcedores. Muitas das vítimas morreram pisoteadas. Incidente é uma das piores tragédias ocorridas num estádio de futebol.

Por Redação, com DW – de Jacarta

Um tumulto no final de um jogo de futebol na Indonésia deixou ao menos 174 mortos e centenas de feridos, segundo afirmaram autoridades locais neste domingo. O incidente é uma das piores tragédias ocorridas num estádio.

Um tumulto no final de um jogo de futebol na Indonésia deixou ao menos 174 mortos e centenas de feridos

O tumulto começou no final da partida entre Arema FC e Persebaya Surabaya, que ocorreu na noite de sábado na cidade de Malang, em Java Oriental. Após a derrota do Arema por 3-2, a primeira em casa em mais de duas décadas, os torcedores invadiram o campo e atiraram garrafas e objetos contra os jogadores.

A invasão do campo causou um caos e os torcedores dos times rivais entraram em confronto. A polícia reagiu e disparou gás lacrimogêneo, inclusive em direção às arquibancadas do estádio, causando o pânico entre a multidão.

Centenas de torcedores correram para uma porta de saída numa tentativa de escapar não só à violência, mas também do gás lacrimogêneo. Muitas das vítimas morreram pisoteadas ou por asfixia. O tumulto se espalhou para fora do estádio, onde dois agentes da polícia foram mortos e pelo menos cinco veículos da polícia foram incendiados.

Crianças entre as vítimas

Segundo o chefe da polícia de Java Oriental, Nico Afinta, 34 pessoas morreram no estádio e as outras vítimas vieram a falecer a caminho do hospital ou no hospital onde estavam sendo tratados. Mais de 300 feridos precisaram receber atendimento. Afinta disse ainda que o número de mortos pode aumentar, pois há pacientes em estado grave.

Segundo o editor-chefe da redação da DW em Jacarta, Georg Matthes, ao menos 17 crianças estão entre os mortos. O jornalista disse ainda que a polícia afirmou que a Federação de Futebol da Indonésia foi negligente em não informar que as forças de segurança que os procedimentos para o uso de gás lacrimogêneo em jogos são diferentes dos adotados em protestos.

A Fifa recomenda que não sejam usadas armas de fogo e gás lacrimogêneo por agentes de segurança em estádios. Após o incidente, o presidente indonésio, Joko Widodo, ordenou “uma avaliação abrangente dos jogos de futebol e dos procedimentos de segurança”.

A Federação de Futebol da Indonésia suspendeu as partidas do campeonato nacional por uma semana e iniciou uma investigação sobre o incidente. O Arema FC também foi proibido de sediar partidas até o fim da temporada.

Autoridades disseram que 42 mil ingressos foram vendidos para o jogo, porém, o estádio tinha capacidade para apenas 38 mil torcedores. A polícia da região afirmou que recomendou que apenas torcedores do Arema fossem permitidos no estádio, devido à acirrada rivalidade entre os clubes.

Essa é uma das piores tragédias que ocorreram num estádio de futebol, depois do confronto entre torcedores do Peru e da Argentina no Estádio Nacional de Lima que deixou 318 mortos em 1964.

☐ ☆ ✇ Correio do Brasil

Jair Bolsonaro vota em escola municipal no Rio 

Por: CdB

Acompanhado de políticos aliados, ele falou com a imprensa na chegada e na saída do local de votação, onde ele permaneceu por cerca de cinco minutos. Bolsonaro disse que eleições limpas têm que ser respeitadas e que confia em sua vitória no primeiro turno.

Por Redação, com ABr – do Rio de Janeiro

O candidato à reeleição pelo PL, Jair Bolsonaro, votou na manhã deste domingo, na cidade do Rio de Janeiro. Ele chegou por volta das 8h50 na Escola Municipal Rosa da Fonseca, na Vila Militar,  na zona oeste.

Presidente votou Escola Municipal Rosa da Fonseca, na Vila Militar

Acompanhado de políticos aliados, ele falou com a imprensa na chegada e na saída do local de votação, onde ele permaneceu por cerca de cinco minutos. Bolsonaro disse que eleições limpas têm que ser respeitadas e que confia em sua vitória no primeiro turno.

– A expectativa é de vitória hoje, tendo em vista o que fizemos num momento difícil da nação, bem como nesses 45 dias. Fui, em praticamente todos os estados do Brasil, muito bem recebido. Eleições limpas, sem problema. Que vença o melhor – disse.

Esquema de segurança

Desde cedo, havia um esquema de segurança reforçado no entorno do local de votação, com a presença da Polícia do Exército, da Polícia Militar e da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core) da Polícia Civil, inclusive com cães.

Cercas foram instaladas em volta da escola. Os eleitores tiveram que passar por revistas e detectores de metal.

☐ ☆ ✇ Correio do Brasil

Brasil vai às urnas em eleição decisiva para a democracia

Por: CdB

Pesquisas indicam que social-democrata Lula está no limiar de vencer pleito no 1° turno e impor derrota à extrema direita. Acuado, Bolsonaro sinaliza que não deve aceitar fracasso nas urnas.

Por Redação, com DW – de Brasília

Quatro anos após a onda de direita que virou de cabeça para baixo o mundo político brasileiro, os eleitores voltaram às urnas neste domingo para votar numa disputa que pela primeira vez na história brasileira reúne um ocupante do Planalto em busca da reeleição e um ex-presidente.

Pesquisas indicam que social-democrata Lula está no limiar de vencer pleito no 1° turno e impor derrota à extrema direita

Apesar de contar com 11 candidatos, a campanha se desenhou para um duelo sobre duas personalidades que não poderiam representar projetos mais antagônicos: o extremista de direita de Jair Bolsonaro (PL) e o social-democrata Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

É o duelo que não aconteceu em 2018.

Representante de uma agenda que mescla ultranacionalismo, fundamentalismo cristão, desprezo pela separação de Poderes, rejeição a valores progressistas, promoção do armamento da população e flexibilização de regras ambientais, Bolsonaro já não pode se apresentar como “outsider” a exemplo do que ocorreu na eleição passada. Seus quase quatro anos de governo foram marcados por problemas econômicos e sanitários, isolamento internacional, aumento da pobreza e sucessivas crises políticas.

Apesar de tudo isso, o presidente ainda conta com uma parcela significativa de apoiadores ferrenhos, ainda fiéis à sua agenda moral, especialmente entre o eleitorado evangélico e setores mais ricos. No entanto, ele perdeu boa parte dos eleitores de centro que há quatro anos haviam aderido de maneira decisiva à sua candidatura em nome do antipetismo.

Lula, por sua vez, lançou-se à corrida apostando na nostalgia pelos seus dois bem-sucedidos mandatos à frente da Presidência (2003-2010). Sua popularidade persistente, especialmente entre as camadas mais pobres, posicionou o petista como favorito para vencer o pleito desde a divulgação das primeiras pesquisas em 2021.

Uma eventual vitória de Lula pode marcar ainda a volta da esquerda ao poder do maior país da América do Sul seis anos após a derrocada de Dilma Rousseff, apadrinhada de Lula que sofreu um impeachment em 2016 na esteira de uma série de escândalos de corrupção, má gestão econômica, perda de apoio parlamentar e acirramento do antipetismo, especialmente entre a classe média.

Nos últimos dias, a campanha de Lula tem investido na pressão do “voto útil”, tentando liquidar a eleição ainda no primeiro turno. Segundo levantamentos divulgados no sábado, o petista conta com 50% a 51% das intenções de votos uteis. Para vencer são necessários 50% mais um. No entanto, por causa da margem de erro de dois pontos percentuais e fatores como abstenção, a possibilidade de um segundo turno entre Lula e Bolsonaro permanece em aberto.

Campanha começou ainda em 2021

Oficialmente, a campanha presidencial teve início em 15 de agosto, mas o pontapé inicial da disputa foi dado em março do ano passado, quando o Supremo Tribunal Federal anulou todas as sentenças contra o ex-presidente Lula, devolvendo ao petista seus direitos políticos – e consequentemente o cacifando para concorrer novamente à Presidência, ao contrário do que ocorreu em 2018, quando ele foi barrado.

Desde então, Lula foi o único candidato que demonstrou nas pesquisas capacidade de frear o bolsonarismo, diante do fracasso de uma série de postulantes que tentaram se posicionar como “uma terceira via”. Ao longo de um ano, nenhum candidato fora de Lula e Bolsonaro conseguiu romper a barreira dos dez pontos nas pesquisas.

Em um comício em Curitiba no mês de setembro, a presidente do PT, Gleisi Hoffmann, classificou a volta por cima de Lula como uma “redenção”. Após passar 580 dias na prisão, Lula voltou à antiga “capital da Lava Jato” com chances de vencer a eleição ainda no primeiro turno.

Bolsonaro, por sua vez, também lançou mão de todo o tipo de tática em busca da sua própria “redenção” e tentar reverter sua impopularidade. Seu governo promoveu a criação de uma série de benefícios sociais em pleno ano de eleições e ainda transformou o bicentenário da Independência em comícios a favor da sua reeleição. Com o objetivo de tentar reverter sua alta rejeição entre o eleitorado feminino, Bolsonaro também arregimentou a primeira-dama, Michelle, para participar da campanha.

Ao longo da campanha, Bolsonaro ainda tentou pintar a disputa como uma “luta do bem contra o mal” e lançou uma série de ataques contra seu principal rival, especialmente no último debate televisivo. Assim como ocorreu em 2018, a base do presidente também fez uso extensivo de distribuição de fake news contra adversários.

No entanto, as táticas não haviam revertido até a véspera da eleição a posição de desvantagem de Bolsonaro em relação a Lula. No último Datafolha, o presidente permanecia 14 pontos atrás do petista.

Na reta final, o presidente pareceu abdicar de tentar virar votos de eleitores que não apoiam o governo, viajando a uma “zona de conforto”: o estado de Santa Catarina, no qual possui uma esmagadora maioria das intenções de voto, em vez de se concentrar em colégios eleitorais maiores nos quais Lula aparece à frente.

O risco Jair Bolsonaro

Se o pleito de 2018 já havia sido marcado por um clima de acirramento político jamais visto desde a volta das eleições diretas para presidente em 1989, com o próprio Bolsonaro sendo alvo de um atentado, a disputa deste domingo também desperta temores de violência.

Nos últimos meses, ganharam destaque casos como o assassinato de um dirigente petista para um apoiador de Bolsonaro em Foz do Iguaçu. Entrevistadores de institutos de pesquisa foram agredidos nas ruas e jornalistas foram novamente alvo de assédio por parte de membros da base radical do presidente.

Nos últimos anos, o governo Bolsonaro também flexibilizou o acesso a armas de fogo no país. Como resultado: a venda explodiu e milhares de apoiadores do presidente correram para se armar. Durante a pandemia, Bolsonaro já havia defendido armar a população para que ela se insurgisse contra governadores e prefeitos que haviam implementado medidas de isolamento.

Se o clima nas ruas já é suficiente para causar preocupação, as atenções também se voltam para o Planalto. Segundo as últimas pesquisas do Ipec e do Datafolha, Bolsonaro pode perder a eleição já neste domingo. Caso ainda consiga passar para o segundo turno, sua derrota se desenha praticamente certa, segundo os institutos, diante da alta rejeição que seu nome provoca entre a maioria do eleitorado.

Jair Bolsonaro reconhecerá o resultado? O presidente já sinalizou diversas vezes que não pretende conceder uma eventual derrota. Ele ainda insinuou que pode estimular uma ofensiva semelhante àquela lançada pelo seu ídolo, o ex-presidente americano Donald Trump, que em janeiro de 2021 instigou a invasão da sede do Congresso americano por uma turba de apoiadores radicais – tudo com o objetivo de tentar impedir a oficialização da sua derrota e a vitória do democrata Joe Biden. “Aqui no Brasil se tivermos o voto eletrônico em 22 vai ser a mesma coisa, a fraude existe”, disse Bolsonaro em janeiro, em mais uma das suas falas contra o sistema de votação no Brasil.

Ainda em 2018, antes de tomar posse, Bolsonaro já vinha desenhado essa estratégia, ao afirmar que só não havia ganhado no primeiro turno daquele ano por causa de supostas “fraudes” nas urnas. Posteriormente, as maquinações se tornaram mais amplas e ele chegou a incentivar as Forças Armadas a participarem da fiscalização processo eleitoral, levantando temores de interferência. O presidente também afirmou há duas semanas de maneira ameaçadora que “se não ganhar no primeiro turno” com “60%” dos votos, algo de “anormal” terá acontecido “dentro do TSE”.

Apesar de ter condicionado sua base radical a duvidar dos números de pesquisas e da segurança das urnas eletrônicas, o presidente tem encontrado pouco apoio na classe política tradicional para suas falas golpistas. Seus principais aliados do Centrão na Câmara e no Senado vêm evitando endossar as ofensivas do presidente contra o sistema eleitoral e alguns já demonstram sinais de resignação com uma provável derrota de Bolsonaro e ensaiam a construção de pontes com um eventual governo Lula.

Governos estrangeiros, incluindo o dos EUA, também já avisaram que têm confiança no sistema eleitoral brasileiro e que vão reconhecer sem demora o vencedor da eleição. Em julho, Bolsonaro chegou a reunir dezenas de embaixadores em Brasília para lançar ataques às urnas eletrônicas e ao STF, mas o encontro só explicitou ainda mais o isolamento internacional do presidente.

Diversos chefes de Estado ou governo do exterior não escondem sua preferência por Lula. No ano passado, ainda na posição de pré-candidato, o petista foi recebido com honras de chefes de estado pelo presidente francês Emmanuel Macron e se encontrou com Olaf Scholz, quando o atual chanceler federal da Alemanha ainda costurava a montagem do seu governo.

A “frente ampla” de Lula

Nos últimos dias, a campanha de Lula passou a receber apoio até mesmo de antigos adversários, incluindo um dos autores do impeachment de Dilma, o jurista Miguel Reale Jr., e o ex-ministro do STF Joaquim Barbosa, relator do julgamento do Mensalão. Um total seis ex-ministros do Supremo declaram apoio ao petista.

Em contraste com o que ocorreu na campanha de 2018, quando o PT foi representado pela candidatura de Fernando Haddad, Lula conseguiu formar uma ampla rede de apoios de diferentes atores do espectro político. O carro-chefe dessa estratégia foi a escolha do seu vice, o ex-governador e ex-rival Geraldo Alckmin, cuja presença na chapa foi o gesto mais explícito para atrair o eleitorado de centro-direita e reforçar a campanha petista em São Paulo, o maior colégio eleitoral do país.

O petista ainda fez as pazes com ex-aliados, notadamente a ex-senadora Marina Silva (Rede) e o ex-ministro da Fazenda Henrique Meirelles (União Brasil). “Existem momentos na história em que há algo muito forte em jogo”, disse Marina Silva ao anunciar apoio a Lula.

A terceira via que nunca decolou

Desde que Lula recuperou seus direitos políticos em 2021, o Brasil passou a assistir uma série de tentativas de viabilizar uma “terceira via” para fazer frente ao petista e a Bolsonaro. Alimentada pela imprensa e por parte da elite política, a procura envolveu nomes como os ex-governadores João Doria, Eduardo Leite, os senadores Alessandro Vieira e Rodrigo Pacheco e os ex-ministros Luiz Henrique Mandetta e Sergio Moro. Nenhum decolou nas pesquisas. Moro, o ex-juiz responsável por tirar Lula da disputa de 2018, posteriormente se viu obrigado a disputar uma vaga ao Senado pelo Paraná, após se envolver uma série de imbróglios com diferentes partidos e a Justiça eleitoral.

No final, da “terceira via”, só sobraram dois candidatos que não registram traço nas pesquisas: Ciro Gomes (PDT) e Simone Tebet (MDB), que aparecem com entre 5% e 6% das intenções de voto.

Ao longo da campanha, Ciro insistiu em uma estratégia de pintar Lula e Bolsonaro como equivalentes, representantes do mesmo sistema que, na sua visão, levou o Brasil à ruína. Paralelamente, Ciro fez acenos à direita e passou a reforçar mensagens nacionalistas, o que levantou especulações de que ele pretende lançar um movimento para reunir radicais eleitores órfãos de Bolsonaro durante um eventual governo Lula. A tática, por enquanto, não tem dado certo. Ao lançar ataques até mesmo pessoais contra Lula, Ciro acabou afastando parte dos seus eleitores progressistas. Nos últimos levantamentos do Ipec e do Datafolha, ele oscilou negativamente e apareceu empatado ou até mesmo atrás da senadora Simone Tebet, outra política que tentou se viabilizar como “terceira via”.

☐ ☆ ✇ Correio do Brasil

Zuckerberg congela contratações e diz que Meta vai ser menor em 2023

Por: CdB

Mesmo realizando investimentos em um formato de vídeos curtos para competir com o TikTok, a Meta acabou lucrando menos do que o esperado nos últimos três meses de 2021. Aliás, a dona do Facebook, Instagram e WhatsApp, se deparou com a primeira queda na receita trimestral em 10 anos.

Por Redação, com Tecnoblog – de São Francisco

Com os recentes investimentos em realidade virtual e seu próprio metaverso, tudo levava a crer que a Meta continuaria por esse caminho nos próximos anos. No entanto, Mark Zuckerberg disse a funcionários durante uma sessão de Q&A, que a companhia vai congelar contratações e reestruturar alguns times. O objetivo é o de aparar algumas despesas e realinhar prioridades. Como consequência, o CEO acredita que a empresa deverá ser menor em 2023.

Mark Zuckerberg

A partir dessa decisão, a Meta fará o primeiro corte de orçamento de grande escala em sua história. Lembrando que o Facebook, nome anterior da companhia, foi fundado em 2004.

De acordo com o Bloomberg, uma pessoa que participou do Q&A relatou algumas informações ditas pelo magnata. Assim, a diminuição de gastos deverá ocorrer entre quase todas as equipes, mesmo aquelas que estão em crescimento.

Além disso, cada time precisará encontrar maneiras de lidar com um número menor de profissionais. Isso quer dizer que se um empregado sair, por exemplo, os membros e líderes deverão “se virar” para preencher o espaço. Talvez recrutando pessoas de outro grupo ou trabalhando para contornar a situação.

Seguindo esse pensamento, é de se esperar que a empresa fique menor em 2023, não apenas em investimentos, mas também no número de funcionários.

Concorrência e restrições

Mesmo realizando investimentos em um formato de vídeos curtos para competir com o TikTok, a Meta acabou lucrando menos do que o esperado nos últimos três meses de 2021. Aliás, a dona do Facebook, Instagram e WhatsApp, se deparou com a primeira queda na receita trimestral em 10 anos.

Podemos pensar que os principais fatores dessa diminuição são relacionados à atenção do usuário, ou seja, como consegui-la e como mantê-la.

Para começar, a concorrência nas redes sociais aumentou consideravelmente nos últimos anos. O TikTok está atraindo os mais jovens com suas danças e formato casual, algo que o Instagram ainda não conseguiu se estabelecer como nome forte para esse público.

Já o Facebook viu em fevereiro mais um concorrente crescer. O Twitter teve um crescimento de 13%, enquanto a rede social da Meta estagnou no número de usuários ativos no quarto trimestre de 2021.

Ademais, a Apple não ajudou em nada os planos de Mark Zuckerberg. As restrições criadas pela maçã, que exigem dos aplicativos uma permissão explícita do usuário para rastreá-lo, têm impactado a precisão de anúncios e consequentemente a efetividade das propagandas.

☐ ☆ ✇ Correio do Brasil

Brasil vence na estreia e vai à segunda rodada do Mundial de Tênis de Mesa

Por: CdB

Na estreia das brasileiras contra as sul-africanas, a primeira a competir foi Bruna Takahashi, de 22 anos, que atropelou Muskiquh Kalan em sets diretos ((11/4, 11/2 e 11/5). Sem seguida, a irmã Giulia, de 17 anos, em sua estreia em Mundiais, superou com facilidade Danisha Patel, também por 3 sets a 0 ((11/3, 11/4 e 11/7).

Por Redação, com ABr – do Rio de Janeiro

As equipes brasileiras feminina e masculina estrearam com vitória na madrugada desta sexta-feira no Mundial de Tênis de Mesa em Chengdu (China) e avançaram à segunda rodada .

As equipes brasileiras feminina e masculina estrearam com vitória

O trio feminino (irmãs Bruna e Giulia Takahashi, e Laura Watanabe) sobrou diante da África do Sul: ganhou por 3 sets a 0 (11/4, 11/5 e 11/1). Elas voltam a jogar nesta sexta-feira, às 23h (horário de Brasília), contra a Itália. A partida será transmitida ao vivo no YouTube do Mundial. As brasileiras no Grupo 3 (os demais integrantes são França e Hong Kong, este último cabeça de chave).

O time masculino – Hugo Calderano, Vitor Ishiy e Eric Jouti – também levou a melhor sobre a Dinamarca no primeiro duelo da competição: triunfo por 3 sets a 1 ((9/11, 11/9, 11/6 e 11/9). O próximo duelo dos brasileiros será contra Portugal, neste sábado (1º de outubro), também transmissão ao vivo. O Brasil é cabeça de chave do Grupo 6, que tem ainda Eslováquia.

Partidas

Na estreia das brasileiras contra as sul-africanas, a primeira a competir foi Bruna Takahashi, de 22 anos, que atropelou Muskiquh Kalan em sets diretos ((11/4, 11/2 e 11/5). Sem seguida, a irmã Giulia, de 17 anos, em sua estreia em Mundiais, superou com facilidade Danisha Patel, também por 3 sets a 0 ((11/3, 11/4 e 11/7). Por último, foi a vez de outra debutante na competição:  Laura Watanabe, de 18 anos. A mesatenista não poupou a adversária, triunfando por 3 a 0 (11/4, 11/5 e 11/1).

 

☐ ☆ ✇ Correio do Brasil

Crianças Yanomami morrem por falta de atendimento, diz associação

Por: CdB

A subnotificação se deve à falta de atendimentos regulares, especialmente nas regiões de Homoxi, Hakoma e Arathau. Ainda segundo a Hutukara, há mortes não contabilizadas por falta da presença de médicos, que são os responsáveis por assinar as fichas de óbito. 

Por Redação, com Brasil de Fato – de Brasília

A falta de acesso à saúde na Terra Indígena (TI) Yanomami já provocou a morte de nove crianças indígenas desde o final de julho deste ano. No maior território indígena do Brasil, os atendimentos estão comprometidos por causa da expansão do garimpo ilegal.

Foto de criança Yanomami desnutrida virou símbolo da tragédia humanitária vivida pelo povo

A denúncia foi feita em um ofício da Hutukara Associação Yanomami encaminhado há duas semanas a Ministério Público Federal (MPF), Funai, Exército e Distrito Sanitário Especial Indígena (DSEI) Yanomami.

O documento afirma que as vítimas tinham doenças facilmente tratáveis, como diarreia, verminoses e síndromes respiratórias. Segundo a Hutukara, as causas são a “desassistência à saúde generalizada na região” e a captura da estrutura de por garimpeiros ilegais, que já atuam em metade das comunidades da TI.

“Como se vê, a maioria dos postos de saúde foram fechados em razão da sensação de insegurança, que por sua vez é efeito direto do avanço do garimpo ilegal”, denuncia a Hutukara.

A organização pediu a expulsão imediata dos garimpeiros com auxílio da Força Nacional, além da reabertura de todos os postos de saúde, como forma de garantir atendimento ininterrupto às comunidades.

Subnotificação esconde realidade ainda mais grave

O monitoramento por satélite feito pela Hutukara indica que o garimpo está em franca expansão. Uma área equivalente a 1,1 mil campos de futebol foi degradada entre janeiro e agosto deste ano. O número supera em 35% o acumulado de todo o ano passado.

Na Serra do Surucucus, região onde foram registradas mortes de crianças, seis postos de saúde foram abandonados, segundo a organização indígena. Já em Homoxi, a unidade deixou de prestar atendimentos há um ano após cair nas mãos dos mineradores ilegais, que usam o local na logística do garimpo.

– A realidade na área é certamente muito mais grave do que o exposto – escreveu no ofício o vice-presidente da Hutukara, Dario Kopenawa. “É bastante provável que muitas mortes não estão sendo notificadas”.

A subnotificação se deve à falta de atendimentos regulares, especialmente nas regiões de Homoxi, Hakoma e Arathau. Ainda segundo a Hutukara, há mortes não contabilizadas por falta da presença de médicos, que são os responsáveis por assinar as fichas de óbito.

Garimpo provoca tragédia humanitária

O garimpo ilegal na terra indígena Yanomami (RR) cresceu 3.350% entre 2016 e 2021. A consequência direta é o crescimento da malária, da desnutrição infantil, da contaminação por mercúrio e da exploração sexual.

Os efeitos são sentidos por 16 mil moradores de 273 comunidades, o equivalente a 56% da população total. Com o tamanho de Portugal, o território Yanomami tem 29 mil habitantes em 350 aldeias.

Imagens aéreas feitas pelos Yanomami em janeiro deste ano mostram que a atividade se aproxima cada vez mais das comunidades, desmatando a floresta e poluindo os rios. Também há flagrantes de aeroportos e helicópteros utilizados para o transporte para regiões de difícil acesso.

☐ ☆ ✇ Correio do Brasil

MPF se reúne no Rio com forças de segurança para garantir direito ao voto

Por: CdB

De acordo com o órgão, o objetivo da ação é garantir aos cidadãos o pleno exercício do direito de voto e dar cumprimento ao dispositivo constitucional que lhe incumbe da defesa do regime democrático e da ordem jurídica.

Por Redação, com Brasil de Fato – do Rio de Janeiro

O Ministério Público Federal (MPF), por meio do Núcleo de Controle Externo da Atividade Policial, irá acompanhar as medidas adotadas pelas forças de segurança pública no Rio de Janeiro no sentido de prevenir e coibir eventuais abusos e contratempos por parte dos policiais durante o período eleitoral.

O procedimento foi instaurado a partir de representação feita pelas organizações da sociedade civil

De acordo com o órgão, o objetivo da ação é garantir aos cidadãos o pleno exercício do direito de voto e dar cumprimento ao dispositivo constitucional que lhe incumbe da defesa do regime democrático e da ordem jurídica.

O procedimento foi instaurado a partir de representação feita pelas organizações Pacto pela Democracia, Fórum Brasileiro de Segurança Pública, Human Rights Watch e Rede Liberdade e Transparência Internacional Brasil à Procuradoria Regional Eleitoral, que por sua vez a encaminhou ao Núcleo de Controle Externo da Atividade Policial.

As instituições da sociedade civil manifestam na representação a necessidade de dar transparência e publicidade a planos operacionais e de contingência, bem como de reforçar o papel da cadeia de comando e o compromisso de respeito ao processo democrático e ao resultado das urnas para, com isso, prevenir e coibir a possibilidade de abusos.

Na terça-feira, o procurador da República Eduardo Benones, coordenador do Núcleo de Controle Externo da Atividade Policial, se reuniu com os representantes das entidades que acionaram o MPF. No encontro, eles trouxeram dados sobre o aumento da violência política no estado do Rio de Janeiro ao longo dos últimos anos.

Segurança pública

Já nesta quinta-feira, foi realizada uma reunião com as forças de segurança pública. Foram convidadas a Polícia Federal, a Polícia Rodoviária Federal, a Polícia Militar, a Polícia Civil e a Guarda Municipal.

– Respeitadas, evidentemente, as atribuições da Procuradoria Regional Eleitoral, o Núcleo de Controle Externo da Atividade Policial fará esforços no sentido de que a atuação das forças policiais, especialmente as polícias federais (PF e PRF), não apenas garantam plenamente o exercício pacífico do direito de voto, bem como que sua própria presença e modus operandi não impliquem, por si sós, qualquer tipo de embaraço ao eleitor. Para tanto devem ser observadas as resoluções do TSE e o próprio Código Eleitoral –  afirma o procurador.

☐ ☆ ✇ Correio do Brasil

OMS: surtos de cólera aumentam em todo mundo e taxas de mortalidade crescem

Por: CdB

A taxa média de mortalidade até agora quase triplicou este ano em comparação com a média de cinco anos e atualmente está em torno de 3% na África, ele acrescentou. Embora a maioria das pessoas afetadas tenha sintomas leves ou inexistentes, cólera pode matar em poucas horas se não for tratada.

Por Redação, com Reuters – de Genebra

Os casos de cólera aumentaram este ano, especialmente em locais de pobreza e conflito, com surtos relatados em 26 países e taxas de mortalidade crescendo acentuadamente, disse uma autoridade da Organização Mundial da Saúde (OMS) nesta sexta-feira.

Os casos de cólera aumentaram este ano, especialmente em locais de pobreza e conflito

Em um ano típico, menos de 20 países relatam surtos da doença que se espalha pela ingestão de alimentos ou água contaminados e pode causar diarreia aguda.

– Após anos de números decrescentes, estamos vendo um aumento muito preocupante de surtos de cólera em todo o mundo desde o ano passado – disse Philippe Barboza, líder da equipe da OMS para Cólera, em entrevista coletiva em Genebra.

Mortalidade

A taxa média de mortalidade até agora quase triplicou este ano em comparação com a média de cinco anos e atualmente está em torno de 3% na África, ele acrescentou.

Embora a maioria das pessoas afetadas tenha sintomas leves ou inexistentes, cólera pode matar em poucas horas se não for tratada.

Barboza também expressou preocupação com surtos no Chifre da África e partes da Ásia, incluindo o Paquistão, onde algumas regiões estão inundadas.

Ele disse que apenas alguns milhões de doses de vacinas estão disponíveis para uso antes do final deste ano, citando a falta de fabricantes entre os problemas.

A OMS mantém um estoque de emergência de vacinas contra cólera.

– Então está muito claro que não temos vacinas suficientes para responder a tantos surtos agudos e menos ainda para poder implementar campanhas de vacinação preventiva que podem ser uma forma de reduzir o risco para muitos países – disse ele.

☐ ☆ ✇ Correio do Brasil

Zelensky pede adesão acelerada da Ucrânia à Otan

Por: CdB

Zelensky já havia feito um pedido de adesão pouco antes do início da guerra, mas as solicitações foram paralisadas, especialmente, por conta da própria Otan. Como há o chamado princípio de que um ataque a um país da aliança é um ataque a todos, havia o temor de que a guerra na Ucrânia se tornasse mundial.

Por Redação, com ANSA – de Kiev

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, pediu a adesão acelerada de seu país à Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) após a Rússia anexar de maneira unilateral quatro regiões do país, Donetsk, Lugansk, Kherson e Zaporizhia, nesta sexta-feira.

Presidente ucraniano fez anúncio após anexações da Rússia

– De fato, nós já estamos na Otan. De fato, nós já mostramos compatibilidade com os padrões da Aliança, eles são reais para a Ucrânia, reais no campo de batalha e em todos os aspectos da nossa interação. Nós confiamos uns nos outros, nos ajudamos e nos protegemos. Essa é a Aliança. Cumprimos nosso passo decisivo firmando o pedido de adesão acelerada – disse Zelensky em um vídeo divulgado no Telegram.

Zelensky já havia feito um pedido de adesão pouco antes do início da guerra, mas as solicitações foram paralisadas, especialmente, por conta da própria Otan. Como há o chamado princípio de que um ataque a um país da aliança é um ataque a todos, havia o temor de que a guerra na Ucrânia se tornasse mundial.

Contudo, a organização nunca parou de enviar ajuda financeira e armamentos para Kiev, o que, para o Kremlin, é uma “guerra híbrida” contra o país.

As anexações

O mandatário ucraniano também falou diretamente sobre as anexações, que voltou a chamar de “farsa”, e prometeu que “o inteiro território de nosso país será liberado do inimigo, o inimigo não só da Ucrânia, mas da vida, da humanidade, da lei e da verdade”. Para Zelensky, Moscou “busca roubar coisas que não lhe pertencem, quer reescrever a história e redesenhar as fronteiras com homicídios, abusos, chantagens e mentiras”.

– Não vamos permitir isso. Se não os pararmos, a Rússia não vai parar nas nossas fronteiras. Outros estariam sob ataque, como os Estados bálticos, a Polônia, a Moldávia, a Geórgia, o Cazaquistão – acrescentou.

Ao fim da mensagem, Zelensky ainda reforçou que não vai negociar nada com Putin, como o russo afirmou durante o discurso de anexação, e disse que não fará isso “enquanto ele for presidente”.

– A Ucrânia é e continua a ser uma líder nos esforços de negociação. Nós sempre oferecemos à Rússia um acordo sobre a convivência em condições igualitárias, honestas e dignas. Mas é óbvio que isso é impossível com esse presidente russo. Não sabe o que significam a dignidade e a honestidade. Por isso, estamos prontos para um diálogo com a Rússia, mas quando tiver um novo presidente – pontuou ainda.

☐ ☆ ✇ Correio do Brasil

Mídia internacional reage ao apoio de Neymar a Bolsonaro

Por: CdB

Entre os canais de televisão na França que não pararam de passar repetidamente o vídeo postado pelo jogador brasileiro, os apresentadores e âncoras do BFMTV explicaram na manhã desta sexta-feira que se tratava de “uma estratégia em dois momentos”.

Por Redação, com CartaCapital – de Brasília

O site esportivo RMC Sport explica aos internautas franceses que “Neymar havia se mantido à distância do pleito até então”, mas que “a três dias da eleição presidencial brasileira, deu seu apoio franco a Jair Bolsonaro, presidente de extrema direita”.

“Astro do futebol brasileiro Neymar Jr. enfrenta críticas pelo apoio a Bolsonaro”

“A proximidade deles remonta a vários anos atrás. O jogador do PSG não é o único atleta a ter demonstrado tal posição. Ele pode ter procurado se aproveitar dessa relação para resolver uma acusação de fraude fiscal em seu país”, explica o site.

Entre os canais de televisão na França que não pararam de passar repetidamente o vídeo postado pelo jogador brasileiro, os apresentadores e âncoras do BFMTV explicaram na manhã desta sexta-feira que se tratava de “uma estratégia em dois momentos”.

“Primeiro, ele postou na quinta-feira um agradecimento a Jair Bolsonaro por ter ido à sede de sua fundação, e nesta sexta ele postou um outro vídeo, esse sem apelos caritativos ou galanteios, no qual a mensagem é clara, com sorrisos e música”, anunciou a âncora, antes de mostrar a declaração de Neymar em tela cheia.

“Astro do futebol brasileiro Neymar Jr. enfrenta críticas pelo apoio a Bolsonaro”, informa o site da CNN, acrescentando que “o apoio de Neymar a Bolsonaro poderia ser ‘providencial’, uma vez que “uma pesquisa de opinião nacional divulgada na quinta-feira diz que o ex-presidente brasileiro Lula está à frente por 14 pontos para o primeiro turno nas próximas eleições presidenciais do país, em 2 de outubro”.

Para o jornal francês Libération, “Quando os futebolistas brasileiros se aventuram na arena política, seu jogo às vezes se inclina muito para a direita” e “Neymar não é uma exceção à regra”. “Embora muitos dos jogadores de futebol do Brasil sejam oriundos de classes desfavorecidas, as mesmas que mais sofreram com o mandato de Bolsonaro, seu apoio é surpreendente”, publica o jornal.

“Sua atitude parece completamente esquizofrênica quando se considera que muitos dos jogadores da Seleção são negros ou pardos, e que são os primeiros a ficar indignados, e com razão, quando um de seus próprios jogadores é vítima de racismo”, publica Libération. “Ao mesmo tempo, apoiando um candidato que certa vez disse que seus filhos ‘não se apaixonarão por uma mulher negra porque foram muito bem educados’”, conclui o site francês.

“Sócrates deve estar se revirando em seu túmulo!”

O jornal L’Humanité dedica um longo artigo ao “caso”. Lembrando que outros jogadores brasileiros também demonstraram apoio a Bolsonaro, como Ronaldinho e Lucas Moura, o diário opina que “Sócrates deve estar se revirando em seu túmulo!”. “Historicamente, os futebolistas tomaram posições políticas com frequência no Brasil, mas sempre estiveram longe de aprovar regimes com ideias extremas”, critica o jornal francês.

“Recordamos as condenações anti-ditadura do mesmo Sócrates nos anos 1970 e 1980. Lembramos que Romário (estrela do Brasil e do FC Barcelona) se tornou deputado de esquerda após o fim de sua carreira. Hoje, Juninho e Raí também se posicionam contra Jair Bolsonaro e pedem votos para Lula”, publica L’Humanité, que termina dizendo que “Mais preocupante ainda, o site brasileiro UOL, que realizou uma pesquisa com jogadores brasileiros, revelou que mais de 20% deles votariam no candidato de extrema direita”, espanta-se.

O Daily Mail destaca nesta sexta-feira que “Neymar mostra apoio ao controverso presidente brasileiro Jair Bolsonaro”. “A estrela do PSG postou uma música e uma dança pró-Bolsonaro no TikTok que arrecadou 1,6 milhões de pessoas”, escreve, em maiúsculas, o tabloide britânico, lembrando que Bolsonaro já havia recebido apoio de Lucas Moura, estrela do Tottenham.

O Mail finaliza o texto contextualizando que Bolsonaro se opôs ao distanciamento social e outras políticas anticovid durante a pandemia,“dizendo que as medidas de restrição matavam mais do que o vírus”. “Ele tem sido comparado ao Trump por seu estilo anti-stablishment e seus ardentes apoiadores”, finaliza.

“Flerte com a extrema direita”

Para o jornal espanhol El País, “Jair Bolsonaro tem motivos para comemorar na reta final da campanha para a presidência do Brasil. Neymar, o maior astro do futebol brasileiro, publicou um vídeo em sua conta no TikTok na quinta-feira, onde ele tem mais de 8 milhões de seguidores, no qual ele pede às pessoas que votem no líder da extrema direita”, diz o site do jornal.

O jornal catalão El National também informa em seu site que “Neymar na ultradireita: ele postou um vídeo dando apoio a Bolsonaro, que ‘seria incapaz de amar uma criança homossexual’”. “A estrela dos ‘Canarinhos’ flerta publicamente e sem vergonha com a extrema direita. Bolsonaro agradece”, publica o veiculo, que contextualiza que “a Catalunha e a Espanha não são as únicas áreas do mundo onde o favoritismo e o clientelismo são uma prática comum: um dos filhos de Bolsonaro é membro do Parlamento, e o outro senador”.

☐ ☆ ✇ Correio do Brasil

Nasa e SpaceX estudam como fazer o telescópio Hubble funcionar por mais tempo

Por: CdB

O telescópio Hubble está em operação há mais de três décadas a cerca de 530 km de altitude, e viaja ao redor da Terra em uma órbita que está decaindo lentamente. Ao levá-lo a uma órbita mais alta e estável, o célebre observatório pode conseguir um bom fôlego a mais para suas operações, estendendo-as por mais tempo.

Por Redação, com Canaltech – de Washington

A Nasa e a SpaceX assinaram um novo contrato para estudar a viabilidade de levar o telescópio espacial Hubble a uma órbita de maior altitude, com a ajuda de uma nave Dragon.

A SpaceX e Nasa estudam a possibilidade de levar o telescópio espacial Hubble a uma órbita mais alta com uma nave Dragon, estendendo a vida útil do telescópio

Anunciado em um comunicado publicado na quinta-feira e sugerido pela SpaceX em parceria com o Programa Polaris, uma iniciativa espacial privada, o acordo pode estender a vida útil do telescópio, contribuindo também para a empresa compreender os desafios técnicos em missões de manutenção.

Telescópio Hubble

O telescópio Hubble está em operação há mais de três décadas a cerca de 530 km de altitude, e viaja ao redor da Terra em uma órbita que está decaindo lentamente. Ao levá-lo a uma órbita mais alta e estável, o célebre observatório pode conseguir um bom fôlego a mais para suas operações, estendendo-as por mais tempo. Depois, quando chegar ao fim de sua vida útil, a Nasa planeja desorbitar o telescópio de forma segura.

Por enquanto, a Nasa não tem planos para realizar ou apoiar uma missão do tipo, e considera que o estudo é, inicialmente, uma oportunidade para entender as possibilidades comerciais na empreitada. As equipes envolvidas estimam que deverá levar até seis meses para a coleta de dados do telescópio e da cápsula Dragon.

Com os dados em mãos, eles devem conseguir entender se é possível realizar uma manobra segura, acoplar a nave ao telescópio e movê-lo a alguma órbita mais estável. Tanto o Hubble quanto a Dragon vão servir como modelos de testes para o estudo, mas a missão pode ter partes aplicáveis também para outras naves, como aquelas em órbitas próximas da Terra.

☐ ☆ ✇ Correio do Brasil

Crianças de 3 e 4 anos podem tomar vacina contra covid em São Paulo

Por: CdB

A imunização para crianças dessa faixa etária com CoronaVac foi autorizada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) em agosto, mas não havia doses suficientes para vacinar toda esta população do Estado e do país.

Por Redação, com ABr – de São Paulo

A partir desta sexta-feira todas as crianças de 3 e 4 anos de idade do Estado de São Paulo podem tomar a vacina contra covid-19. A imunização estava restrita às crianças com comorbidades desta faixa etária. A ampliação é fruto de uma doação de 2 milhões de doses de Coronavac por parte do Instituto Butantan, órgão da Secretaria de Ciência, Pesquisa e Desenvolvimento em Saúde.

acinação estava restrita a crianças de 3 e 4 anos com comorbidades

A imunização para crianças dessa faixa etária com CoronaVac foi autorizada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) em agosto, mas não havia doses suficientes para vacinar toda esta população do Estado e do país.

“A partir daí o Instituto Butantan importou IFA (Ingrediente Farmacêutico Ativo, insumo utilizado para fabricação de vacinas) e concluiu na última semana a produção de 3,5 milhões de doses, sendo que apenas 1 milhão foi adquirida pelo órgão federal, o que corresponde a 215 mil doses para o estado de São Paulo. Para que o estado pudesse vacinar a totalidade deste público, o Butantan doou a Secretaria de Estado da Saúde mais 2 milhões de doses”, diz a Secretaria Municipal de Saúde.

– A CoronaVac é considerada pela Anvisa segura para as crianças de 3 e 4 anos de idade. Nosso imunizante é o mais utilizado entre a população de 3 a 17 anos de idade, resultado da sua segurança e das poucas reações – disse o diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas.

– Os dados indicam que é uma vacina muito efetiva e pode evitar que a doença evolua. Ainda temos altos números de internações de crianças e sequelas graves que podem ser evitadas. É fundamental que os pais e responsáveis levem seus filhos para se imunizar – completou Covas.

Campanha de vacinação contra a pólio

A Campanha de Vacinação contra a Poliomielite e Multivacinação terminou nesta sexta-feira em todo o país. O objetivo é reforçar as coberturas vacinais contra a pólio e outras doenças que podem ser prevenidas, além de evitar a reintrodução de vírus que já foram eliminados no Brasil.

A campanha chegou a ser prorrogada pelo Ministério da Saúde por causa da baixa adesão. As doses estão disponíveis em mais de 40 mil salas de vacinação. A meta da pasta é imunizar 95% do público-alvo, formado por 14,3 milhões de crianças menores de 5 anos.

Crianças de 1 a 4 anos devem receber uma dose da Vacina Oral Poliomielite (VOP), desde que já tenham recebido as três doses da Vacina Inativada Poliomielite (VIP) previstas no esquema básico.

De acordo com o último balanço disponibilizado pelo ministério, até o momento 54,21% do público-alvo foi imunizado. O índice representa 6,2 mil doses contra a pólio distribuídas durante a campanha na faixa etária estabelecida.

Multivacinação

Para a campanha de multivacinação, as doses disponíveis são: Hepatite A e B, Penta (DTP/Hib/Hep B), Pneumocócica 10 valente, VRH (Vacina Rotavírus Humano), Meningocócica C (conjugada), Febre amarela, Tríplice viral (Sarampo, Rubéola, Caxumba), Tetraviral (Sarampo, Rubéola, Caxumba, Varicela), DTP (tríplice bacteriana), Varicela e HPV quadrivalente (Papilomavírus Humano).

Entre adolescentes com idade até 15 anos, estão disponíveis as vacinas HPV, dT (dupla adulto), Febre amarela, Tríplice viral, Hepatite B, dTpa e Meningocócica ACWY (conjugada). O ministério reforça que todos os imunizantes que integram o Programa Nacional de Imunizações (PNI) são seguros e foram aprovados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Alerta

Em nota, o ministério destacou que o Brasil é referência mundial em imunização e conta com um dos maiores programas de vacinação do mundo. Anualmente, o Programa Nacional de Imunizações (PNI) aplica cerca de 100 milhões de doses. O Sistema Único de Saúde (SUS), segundo a pasta, tem capacidade para vacinar 1 milhão de pessoas por dia.

“Toda a população com menos de 5 anos precisa ser vacinada para evitar a reintrodução do vírus que causa a paralisia infantil”, alertou a pasta.

De acordo com o ministério, doenças que já foram eliminadas graças à vacinação podem ser reintroduzidas no país devido às baixas coberturas, “voltando a ser um problema de saúde pública”. O Brasil já eliminou cinco doenças por meio de vacinação: a poliomielite, a síndrome da rubéola congênita, a rubéola, o tétano materno e neonatal e a varíola.

 

☐ ☆ ✇ Correio do Brasil

Frota de ônibus de SP será reforçada para acesso aos locais de votação

Por: CdB

A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) vai monitorar o trânsito nos principais corredores da cidade para garantir segurança, fluidez e mobilidade dos eleitores no acesso aos postos de votação e vias do entorno. O monitoramento e a operação de trânsito nas zonas eleitorais serão intensificados das 7h às 18h.

Por Redação, com ABr – de São Paulo

A frota de ônibus da capital paulista será reforçada para garantir o acesso dos eleitores aos locais de votação neste domingo. Segundo a SPTrans, as linhas vão operar com cerca de 2 mil veículos a mais e capacidade equivalente à dos sábados.

Linhas operam no domingo com cerca de 2 mil veículos a mais

As linhas de ônibus intermunicipais, gerenciadas pela Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU) na região metropolitana de São Paulo, seguirão a programação de domingo, sem alterações de horário. Pode haver reforço caso o movimento de passageiros aumente.

As cinco linhas operadas pela Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) funcionarão com intervalos médios de dez minutos, mas em caso de aumento de passageiros haverá trens de prontidão para atender à demanda em todas as linhas.

A operação das Linhas 4-Quatro, 5-Lilás, 8-Diamante e 9-Esmeralda, controladas pela ViaMobilidade e ViaQuatro, será equivalente à programação dos domingos, com intervalos médios de dez minutos e possibilidade de readequação da frota em caso de necessidade.

No Metrô, todas as linhas funcionarão normalmente, das 4h40 à meia-noite. As frotas programadas para atender os passageiros serão as mesmas utilizadas aos sábados e domingos comuns, com trens reservas podendo entrar em operação.

Trânsito

A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) vai monitorar o trânsito nos principais corredores da cidade para garantir segurança, fluidez e mobilidade dos eleitores no acesso aos postos de votação e vias do entorno. O monitoramento e a operação de trânsito nas zonas eleitorais serão intensificados das 7h às 18h.

Segurança

O governo estadual montou esquema de segurança reforçado para escoltar juízes eleitorais e garantir a segurança dos locais de votação e cartórios eleitorais. Serão mobilizados 83 mil policiais, sendo 68 mil militares, 15 mil civis e 300 policiais técnico-científicos, trabalhando na Operação Eleições.

Os policiais militares estão escalados para garantir a ordem pública e a tranquilidade no estado. Pelos planos da Secretaria de Segurança Pública, 64.692 PMs farão o policiamento dos locais de votação. Mais 2.358 garantirão a segurança dos cartórios eleitorais e 786 farão a escolta dos juízes eleitorais.

As polícias Civil e Técnico-Científica reforçarão os efetivos para atender a qualquer eventualidade. Na Civil, a estimativa é de que 15 mil policiais estejam mobilizados ao longo do plantão de eleições.

☐ ☆ ✇ Correio do Brasil

Porto Alegre não terá passe livre nos ônibus na eleição

Por: CdB

Isso porque a eleição de 2022 será a primeira em quase três décadas sem passe livre nos ônibus da Capital. Em dezembro de 2021, o prefeito Sebastião Melo (MDB) sancionou a lei de autoria do próprio governo municipal que alterou as regras para o dia de isenção tarifária. 

Por Redação, com Brasil de Fato – de Brasília

No dia 2 de outubro, os eleitores que votam em Porto Alegre e que dependem da gratuidade do transporte coletivo para se deslocarem terão seu direito de exercer o voto dificultado.

Eleição de 2022 será a primeira em 30 anos sem passe livre nos ônibus de Porto Alegre

Isso porque a eleição de 2022 será a primeira em quase três décadas sem passe livre nos ônibus da Capital. Em dezembro de 2021, o prefeito Sebastião Melo (MDB) sancionou a lei de autoria do próprio governo municipal que alterou as regras para o dia de isenção tarifária.

Novos critérios

Os novos critérios para o sistema de isenções definem apenas dois perfis de datas de passe livre e, no máximo, seis dias fixados por ano, feriado de Nossa Senhora dos Navegantes e dias de vacinação. Antes, eram de até 12 dias por ano, incluindo o calendário eleitoral. Nas eleições de 2022, entre os beneficiários prejudicados estão pessoas com deficiência ou vivendo com HIV/aids e seu acompanhante, idosos com mais de 65 anos e estudantes de baixa renda.

Na época, o argumento utilizado pela prefeitura foi que, com esses cortes, poderia haver uma redução de R$ 0,21 no valor atual da passagem, que está em R$ 4,80.

Apesar do objetivo alegado ter sido diminuir os custos do transporte coletivo de Porto Alegre, nenhum reajuste na tarifa foi feito até o momento. De acordo com levantamento realizado pela plataforma CupoNation, a passagem de Porto Alegre é a segunda mais cara do Brasil.

☐ ☆ ✇ Correio do Brasil

Prefeitura do Rio abre processo para anular concessão da Linha Amarela

Por: CdB

A autorização para a abertura do processo administrativo será publicada na edição desta quarta-feira do Diário Oficial do Município. Caso o contrato seja tornado nulo, a concessão da Linha Amarela será encerrada no dia 31 de dezembro.

Por Redação, com ACS – de Rio de Janeiro

A prefeitura do Rio iniciou na terça-feira processo administrativo com o objetivo de apurar a nulidade do contrato de concessão da Linha Amarela. A medida ocorre a partir de conclusões de perícia determinada pelo Supremo Tribunal Federal. A apuração constatou um superfaturamento de R$ 72 milhões, valores da época, em obras feitas na via a partir de 2010.

A apuração constatou um superfaturamento de R$ 72 milhões

Rio e Lamsa

Naquele ano, a prefeitura do Rio e a Lamsa assinaram o 11° aditivo ao contrato, que ampliou em 15 anos a concessão da Linha Amarela. Como contrapartida, a empresa deveria fazer investimentos na via no montante total de R$ 252 milhões, também em valores da época. Mas, de acordo com a perícia determinada pelo STF, foram considerados, para fins de orçamento da obra, valores bem superiores ao que foi efetivamente gasto.

A autorização para a abertura do processo administrativo será publicada na edição desta quarta-feira do Diário Oficial do Município. Caso o contrato seja tornado nulo, a concessão da Linha Amarela será encerrada no dia 31 de dezembro.

A prefeitura do Rio deverá realizar nova concessão da via estabelecendo valor de pedágio mais baixo do que o cobrado atualmente.

Enquete para elaborar Plano de Segurança Viária

A enquete para a elaboração do Plano de Segurança Viária do Rio de Janeiro (PSV-Rio) entrou na reta final. Para saber o que a população pensa em relação à possibilidade de sofrer um acidente de trânsito, a Prefeitura do Rio elaborou as perguntas que estão disponíveis na ferramenta Participa.rio até o dia 7 de outubro. A consulta avaliará a percepção dos cariocas sobre os riscos de serem vítimas, por exemplo, de uma batida envolvendo carro, moto ou bicicleta, ou mesmo de um atropelamento. O cidadão também poderá dar sugestões para ações que serão propostas no plano.

A implantação do PSV-Rio está prevista no Plano Estratégico 2020-2024. Uma de suas metas é reduzir em 20% a taxa de mortalidade no trânsito a cada cem mil habitantes até o fim de 2024, tendo como base o ano de 2019. Será estabelecido um conjunto de ações para que a cidade diminua a quantidade de mortes e ferimentos graves. Ele estará alinhado a metas criadas pelo Governo Federal e pela ONU.

O plano está sendo elaborado por um grupo multidisciplinar, formado pelos seguintes órgãos: CET-Rio, Centro de Operações Rio (COR), Escritório de Dados, secretarias de Transportes, Ordem Pública, Saúde e Educação e Guarda Municipal. A medida conta ainda com as parcerias externas de WRI Brasil e Instituto Cordial e irá orientar as ações da prefeitura nas áreas de planejamento e gestão, infraestrutura, educação, fiscalização e atendimento.

☐ ☆ ✇ Correio do Brasil

Justiça do Rio rejeita pedido de revogação de prisão da delegada Adriana Belém

Por: CdB

De acordo com a denúncia, Belém e outros agentes públicos solicitaram e receberam vantagens indevidas para retardar operações ou negligenciar atos de ofício, favorecendo as atividades criminosas cometidas pelo grupo.

Por Redação, com agências de notícias – do Rio de Janeiro

O juízo da Primeira Vara Criminal Especializada da Capital manteve a prisão preventiva da delegada Adriana Belém. Ela foi denunciada na Operação Calígula, que investiga organização criminosa que explora jogos de azar, integrada pelo bicheiro Rogério de Andrade e o ex-policial militar Ronnie Lessa, acusado pela morte de Marielle Franco e Anderson Gomes.

Delegada Adriana Belém

De acordo com a denúncia, Belém e outros agentes públicos solicitaram e receberam vantagens indevidas para retardar operações ou negligenciar atos de ofício, favorecendo as atividades criminosas cometidas pelo grupo.

O pedido de revogação da prisão apresentado pela defesa foi negado já que, desde maio, quando a delegada foi presa, não surgiram fatos novos que justificassem nova análise, e os motivos que fundamentaram a custódia seguem inalterados.

“Com a devida vênia, não assiste razão à culta defesa. Quanto aos requisitos da custódia cautelar, de acordo com pacífica jurisprudência, ‘o reexame periódico da manutenção da prisão cautelar é balizado pela ocorrência ou não de modificação nas circunstâncias fáticas que subsidiaram, na primeira oportunidade, a adoção da medida’”, destaca a decisão.

Caso grave de corrupção

O texto também recorda que agentes encontraram em operação de busca e apreensão quase R$ 2 milhões de reais na casa da delegada, e que as provas apresentadas indicam caso grave de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, envolvendo a liberação de máquinas caça-níquel para os contraventores.

“Neste cenário, o juízo concluiu que o gigantesco valor em espécie arrecadado na posse da acusada, que é Delegada de Polícia do Estado do Rio de Janeiro, aliados gravíssimos fatos ventilados na presente ação penal expõem sérios e sólidos indicativos de que a ré apresenta um grau de comprometimento exacerbado com a organização criminosa e/ou com a prática de atividade corruptiva (capaz de gerar vantagens que correspondem a cifras milionárias)”, concluiu.

☐ ☆ ✇ Correio do Brasil

Papa Francisco visitará Barein para conferência em novembro

Por: CdB

O Barein é cerca de 70% muçulmano e, ao contrário da Arábia Saudita, permite que a pequena comunidade cristã, composta principalmente por trabalhadores estrangeiros, pratique sua fé publicamente nas duas igrejas de lá.

Por Redação, com Reuters – da Cidade do Vaticano

O papa Francisco visitará o predominantemente muçulmano Barein de 3 a 6 de novembro para participar de uma conferência internacional, anunciou o Vaticano nesta quarta-feira.

O papa Francisco visitará o predominantemente muçulmano Barein

O Vaticano disse que o papa visitará o país insular do Golfo, na península Arábica, para participar do Fórum do Barein para o Diálogo: Oriente e Ocidente para a Coexistência Humana.

Em 2019, Francisco visitou Abu Dhabi nos Emirados Árabes Unidos, o primeiro pontífice a visitar a península Arábica e celebrar uma missa lá.

Arábia Saudita

O Barein é cerca de 70% muçulmano e, ao contrário da Arábia Saudita, permite que a pequena comunidade cristã, composta principalmente por trabalhadores estrangeiros, pratique sua fé publicamente nas duas igrejas de lá.

Autoridades do Vaticano anunciaram pela primeira vez a viagem ao Barein no voo de volta da viagem do papa ao Cazaquistão no início deste mês, mas não tinham divulgado as datas.

☐ ☆ ✇ Correio do Brasil

UE anuncia novas sanções contra Rússia devido a referendos

Por: CdB

Os quatro referendos foram realizados entre os dias 23 e 27 de setembro, em meio à operação militar especial russa na Ucrânia. A missão foi deflagrada em 24 de fevereiro após anúncio do presidente russo, Vladimir Putin, do reconhecimento da independência da RPD e da RPL

Por Redação, com Sputnik – de Bruxelas

A presidente da Comissão Europeia (CE), Ursula von der Leyen, anunciou novas sanções contra Moscou, nesta quarta-feira, devido aos recentes referendos de adesão à Rússia realizados em regiões libertadas da Ucrânia.

A presidente da Comissão Europeia (CE), Ursula von der Leyen

– Propomos introduzir uma nova proibição de importação de produtos russos. Desta forma, os produtos da Rússia não serão apresentados no mercado europeu, o que privará a Rússia de uma receita adicional no valor de 7 bilhões de euros (cerca de R$ 36 bilhões) – especificou Von der Leyen.

Já o chefe da diplomacia europeia, Josep Borrell, propôs ampliar as sanções individuais contra pessoas físicas e jurídicas.

– Em relação ao referendo ilegal organizado pela Rússia (…), aumentamos o número de pessoas (indivíduos e organizações) sujeitas a sanções – anunciou Borrell.

Em apurações concluídas na terça-feira, as repúblicas populares de Donetsk (RPD) e Lugansk (RPL) e as regiões de Kherson e Zaporozhie anunciaram a vitória da adesão à Rússia, com ampla margem.

A primeira a anunciar seu resultado foi Zaporozhie, cuja população decidiu pelo ingresso à Rússia com 93,11% dos votos a favor. Poucos minutos depois, a região de Kherson anunciou que teve 87,05% dos votos favoráveis.

Adesão à Rússia

Em seguida, foi a vez de a RPL confirmar o apoio à adesão à Rússia, com 98,42%. Por último, a RPD concluiu sua apuração, com recorde de apoio à decisão: 99,23% votaram a favor.

Os quatro referendos foram realizados entre os dias 23 e 27 de setembro, em meio à operação militar especial russa na Ucrânia. A missão foi deflagrada em 24 de fevereiro após anúncio do presidente russo, Vladimir Putin, do reconhecimento da independência da RPD e da RPL. Ambas as repúblicas solicitaram assistência militar à Federação da Rússia devido a violações de cessar-fogo por parte das forças ucranianas.

☐ ☆ ✇ Correio do Brasil

São Paulo tem manhã chuvosa e instabilidade permanece 

Por: CdB

Segundo meteorologistas do Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE), a entrada de ventos do quadrante sul facilita o ingresso de ar frio de uma frente fria que está se afastando para o litoral do Rio de Janeiro. A temperatura máxima será de 17 ºC e à noite a mínima será de 14 ºC.

Por Redação, com ABr – de São Paulo

A manhã desta quarta-feira continua chuvosa na capital paulista e no decorrer do dia o tempo ficará encoberto e com chuvas de fracas a moderada intensidade devido a áreas de instabilidade.

São Paulo tem manhã chuvosa e instabilidade permanece ao longo do dia

Segundo meteorologistas do Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE), a entrada de ventos do quadrante sul facilita o ingresso de ar frio de uma frente fria que está se afastando para o litoral do Rio de Janeiro. A temperatura máxima será de 17 ºC e à noite a mínima será de 14 ºC.

Segundo os dados do CGE, o acumulado médio de chuva na capital paulista na terça-feira foi de 35 milímetros (mm), o que corresponde a 53,2% da média do mês que é de 65,8 mm. “Não chovia tão forte na capital desde 12 de março deste ano, quando o acumulado foi de 56,2 mm”, disse o CGE.

Até as 7h da manhã desta quarta-feira, o volume médio de chuva de setembro de 2022 atingiu 107,3 mm, ou seja, o acumulado total está 56% acima do esperado para o mês.

O CGE também alerta para o potencial deslizamento de terra em áreas de risco. Por conta dessa situação a Coordenadoria Municipal de Defesa Civil decretou estado de atenção para escorregamentos e baixa temperatura.

Previsão

Segundo as previsões do CGE, as instabilidades se afastam nesta quinta-feira, mas os ventos que sopram do oceano continuam provocando ar frio e úmido para a região metropolitana de São Paulo. O céu permanece encoberto com garoa ocasional e sensação de frio. Os termômetros oscilam entre a mínima de 13ºC e a máxima de 15ºC.

Na sexta-feira, o céu continuará nublado a encoberto, com propagação de novas áreas de instabilidade que provocam chuva a partir do meio do dia. Há potencial para chuva com até moderada intensidade. A temperatura continua baixa com mínima de 13ºC e máxima de 17ºC, e a umidade elevada, acima dos 70%.

Danos

Segundo informações do Corpo de Bombeiros, no período de 0h de hoje até 7h55, houve nove chamados para queda de árvores, sem nenhuma vítima. Não houve chamados para desabamentos, desmoronamentos e enchentes.

De acordo com o CGE, no momento não há registro de pontos de alagamento. Mesmo assim, o alerta é para que as pessoas evitem transitar em ruas alagadas se a chuva causou inundações e que as pessoas não se aventurem a enfrentar correntezas. É recomendado ainda que fiquem em lugar seguro, longe da rede elétrica e não parem debaixo de árvores, além de abrigar-se em casas e prédios.

“Em caso de dúvida sobre vias bloqueadas, ligue para a central de atendimento da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) no número 156 ou entre no site da CET para saber como está o trânsito nas principais vias”, informou o CGE.

 

☐ ☆ ✇ Correio do Brasil

Técnico da seleção italiana diz que objetivo é vencer Copa de 2026

Por: CdB

Apesar de ter vencido a Eurocopa e classificado mais uma vez a Itália para a semifinal da Liga das Nações da Uefa, o técnico falhou na missão em levar o país ao Mundial do Qatar. Mancini informou que “todos foram muito positivos”.

Por Redação, com ANSA – de Roma

O técnico da seleção da Itália, Roberto Mancini, afirmou nesta quarta-feira que seu grande objetivo é vencer a edição de 2026 da Copa do Mundo.

O técnico da seleção da Itália, Roberto Mancini

O comandante da Azzurra participou de um evento em Roma, na Itália, e revelou suas ambições para o Mundial da América do Norte, que será organizado por Estados Unidos, Canadá e México.

– Precisaremos esperar outros quatro anos para jogar uma Copa do Mundo, mas queremos tentar ir para a América e vencer, este é o nosso objetivo – disse Mancini.

Apesar de ter vencido a Eurocopa e classificado mais uma vez a Itália para a semifinal da Liga das Nações da Uefa, o técnico falhou na missão em levar o país ao Mundial do Qatar. Mancini informou que “todos foram muito positivos” com ele após a surpreendente derrota diante da Macedônia do Norte.

Classificação da Itália

Já sobre a classificação da Itália para o “Final Four” da Liga das Nações, Mancini declarou que foi “merecida” e o grupo “colocou tudo” em campo em um momento “em que a condição não era a ideal”.

Aos 57 anos, Mancini está na liderança da Azzurra desde 2018, tendo acumulado 34 vitórias, 15 empates e seis derrotas em 55 jogos.

 

☐ ☆ ✇ Correio do Brasil

Argentina e Twitter se unem para frear ódio nas redes

Por: CdB

O governo da Argentina sustenta que o “recrudescimento” do discurso de ódio na Internet foi um dos fatores que motivaram a tentativa de assassinato da vice-presidente, Cristina Kirchner, ocorrida em 1º de setembro.

Por Redação, com EFE – de Buenos Aires

O governo da Argentina promoverá “ações conjuntas” com o Twitter para impedir a proliferação do discurso de ódio nas redes sociais devido ao seu “recrudescimento” desde a pandemia do coronavírus, segundo informaram fontes oficiais nesta segunda-feira.

O governo da Argentina promoverá “ações conjuntas” com o Twitter para impedir a proliferação do discurso de ódio nas redes

O secretário de Direitos Humanos da Argentina, Horacio Pietragalla, realizou uma reunião virtual com representantes do Twitter na América Latina para abrir “uma instância de diálogo” que permita gerar ações destinadas a coibir a disseminação de comportamentos abusivos nas redes, detalhou a Secretaria de Direitos Humanos em comunicado.

Durante o encontro, Pietragalla ofereceu a “colaboração técnica” da secretaria argentina para “melhorar a qualidade do debate público nas redes sociais e prevenir situações de violência”.

Os responsáveis ​​pelo Twitter presentes no encontro, incluindo Hugo Rodríguez Nicolat, diretor de Políticas Públicas do Twitter América Latina, “concordaram sobre a importância de realizar ações conjuntas” para limitar essas práticas e destacaram a relevância da “alfabetização digital” no uso de redes sociais, de acordo com o comunicado.

Ódio na Internet

O governo da Argentina sustenta que o “recrudescimento” do discurso de ódio na Internet foi um dos fatores que motivaram a tentativa de assassinato da vice-presidente, Cristina Kirchner, ocorrida em 1º de setembro.

Naquele dia, um homem de nacionalidade brasileira de 35 anos, Fernando Sabag Montiel, tentou disparar duas vezes no rosto da ex-presidente, mas a arma não efetuou nenhum disparo.

☐ ☆ ✇ Correio do Brasil

Clima instável permanece na cidade do Rio de Janeiro

Por: CdB

Nesta quarta-feira, a previsão é de céu encoberto, com predomínio de chuva moderada ao longo do dia, podendo ser forte em alguns momentos. O Alerta Rio informa que os ventos estarão fracos a moderados e as temperaturas estáveis, sendo a mínima prevista de 16°C e a máxima de 24°C.

Por Redação, com Diário do Rio e ACS – de Rio de Janeiro

Na terça-feira, uma chuva começou a cair no Rio e tem previsão de permanecer na cidade até o próximo domingo, por conta de uma passagem de frente fria na Região Sudeste.

O tempo frio decidiu passar umas férias na capital fluminense

Nesta quarta-feira, a previsão é de céu encoberto, com predomínio de chuva moderada ao longo do dia, podendo ser forte em alguns momentos. O Alerta Rio informa que os ventos estarão fracos a moderados e as temperaturas estáveis, sendo a mínima prevista de 16°C e a máxima de 24°C.

Nesta quinta-feira, o céu também estará encoberto, com chuva moderada a forte isolada a qualquer momento. Os termômetros podem registrar máxima de 22º C e mínima de 16º C. Já na sexta, pode chover fraco a moderadamente e as temperaturas podem ficar entre os 22º e 13ºC.

Fim de semana

No próximo sábado, há previsão de pancadas de chuvas isoladas a partir da tarde e máxima pode chegar aos 24º C, com mínima de 15º C. E o domingo não foge da previsão instável, pois os termômetros podendo chegar aos 25º C, com mínima de 15º C.

Por conta das chuvas, e pistas molhadas, o número de acidentes pode crescer na capital.

De acordo com o Centro de Operações da Prefeitura do Rio (COR), houve a queda de uma motocicleta, às 6h30, desta quarta-feira, e uma faixa da Avenida Pastor Martin Luther King, na altura do Engenho da Rainha, sentido Del Castilho, ficou ocupada temporariamente.

A Avenida Presidente Vargas também foi liberada por volta das 6h, depois que um acidente entre um ônibus e um caminhão ocuparam a pista central na altura da Cidade Nova, no sentido Candelária.

Um ônibus da Viação Gire Transportes, se chocou com um muro da Iconic Lubrificantes, na Avenida Rio de Janeiro, antes de chegar a Avenida Brasil, no Caju, na Zona Norte do Rio. O Centro de Operações Rio (COR) informou o motorista do ônibus fez uma manobra para desviar de um carro e com a pista molhada acabou indo em direção ao muro.

A recomendação é que motoristas fiquem mais atentos ao trânsito e tomem cuidado com manobras perigosas.

Vacinação covid-19

A Secretaria Municipal de Saúde informa que, a partir desta quarta-feira, a vacinação da primeira dose contra a covid-19 em crianças de 3 e 4 anos foi retomada na cidade do Rio de Janeiro. O retorno foi possível devido ao novo aporte de doses de CoronaVac.

Crianças que ainda não tomaram a segunda dose da vacina devem retornar à unidade de saúde (preferencialmente onde foi feita a primeira dose) para garantir o esquema completo de vacinação, respeitando o intervalo marcado no comprovante.

A vacinação das crianças é uma etapa fundamental para o controle da doença.

 

❌